Quero fazer intercâmbio – Parte 2

Por: Larissa Siriani

A Wanessa e outras leitoras me pediram, e cá estou eu, de volta com o assunto 😀 Como o último post (aqui) sobre isso teve um retorno bacana, a gente achou que seria interessante dar uma aprofundada, então vou tentar, o máximo possível dentro daquilo que eu sei, trazer mais algumas coisas sobre isso 🙂

Quanto Custa?

Essa geralmente é a parte delicada, e também a primeira coisa que muita gente pergunta e às vezes faz muita gente desistir. Não é barato fazer um intercâmbio. Não mesmo.

Dependendo do país, do programa e do tempo, o preço varia. Às vezes a diferença é tão pouca que vale mais a pena escolher um lugar melhor, ou condições melhores, ou por um tempo maior. E depende um pouco também da agência que está organizando isso pra você. Mas, em suma, a base de preço costuma ser bastante similar entre as agências.

Um programa de High School nos EUA, por exemplo, custa em torno de 6.000 dólares – e nem estou incluindo a passagem e custos com visto neste valor. Bem diferente dos quase 10 mil dólares que a gente desembolsa pra fazer o mesmo programa no Canadá ou na Austrália (preços pra permanência de 6 meses). Contudo, se você quiser ficar um ano, a diferença de preço varia pouco, aumentando em 1.000 dólares ou um pouco mais. Pra fazer um curso de férias, o preço básico pra quase todos os países varia de 4.000 a 6.000 (moeda local, seja Euro ou Dólar ou Libra), pra permanência de um ou dois meses. O tipo de acomodação que você escolhe também altera o preço.

Mas, fora passagens, gastos com visto e o curso em si, você ainda precisa de dinheiro pra viver. Adicione a essa conta pelo menos uns 500 dólares (ou euros, ou que seja), se for pra um mês, ou 300 mensais se for pra mais tempo. Não é pouca coisa. Tem que estar com a conta preparada pra encarar um intercâmbio.

Acomodações

Não sei dizer se é a mesma coisa em todos os programas e em todos os países, mas as acomodações geralmente se dividem em:

Host Family (casa de família): você fica hospedado com uma família local, tendo algumas mordomias como refeições e as vezes até alguém que limpe seu quarto e lave sua roupa pra você, além de estar em contato direto com a cultura. Em alguns países, podem haver subdivisões, em que você paga mais caro pra ficar numa família melhor ou mais bem localizada.

Apartamento Compartilhado: você divide um apartamento (que pode ser grande ou pequeno) com outros estudantes da sua e de outras escolas, de diferentes nacionalidades. O problema é que tem que bancar tudo, desde comida até itens de higiene e limpeza.

Residência Estudantil: uma espécie de hotel, em que alguém limpa seu quarto e troca roupa de cama e banho semanalmente, mas ainda assim, você tem que bancar sua comida, cozinhar por si próprio e comprar coisas básicas como papel higiênico. Pode escolher entre quarto individual ou compartilhado.

Onde se Informar

Há várias agências de intercâmbio por aí, só que geralmente a gente não conhece. Vou indicar aqui aquelas que eu conheço e que sei que são confiáveis pra vocês checarem esses e outros dados que quiserem:

CI – Central de Intercâmbio

STB

Daqui pro Mundo

EF

É isso ai, gente! Se tiverem sugestões de perguntas e coisinhas pra um próximo post, aceito mais que agradecida 😀

Beijocas pra quem fica!

Segue a gente @Diadebrilho

 

Quero fazer intercâmbio

Por: Larissa Siriani

Estava aqui pensando no que escrever pro blog, e como sou a rainha dos assuntos diferentes por aqui (dificilmente falo de moda ou beleza, como vocês já devem ter notado), decidi que não podia ser qualquer coisa. Ai me toquei: estou viajando. Por que não falar exatamente sobre isso?

Estou no momento fazendo minha segunda viagem de intercâmbio, e volta e meia tem gente me perguntando coisas a respeito: como é, pra onde ir, como faz. Se tem uma coisa que eu encorajo todo mundo a fazer é sair do país a estudos ou a trabalho quando tiver a oportunidade! Vale super a pena, e é um crescimento que você não vai ter em nenhum outro lugar. Então, esse é o tópico de hoje!

Como funciona

Essa é a primeira pergunta. Muita gente acha que, quando se faz uma viagem de intercâmbio, você vai pra casa de alguma família, e um membro dessa família vem pra sua casa. FALSO. Pra sua família aqui poder receber gente de fora do país, tem que ter uma licença especial (nem me perguntem sobre isso porque eu não sei), e isso não se obtém só porque você vai estudar fora. Então, tranquila, porque ninguém vai invadir sua casa no seu lugar ;P

O que realmente acontece é que você pode optar o que quer fazer fora do país, pra onde você quer ir, que programa quer fazer e até o tipo de acomodação que você quer. E é mais fácil do que parece: todo o trabalho duro é feito pelas agências de intercâmbio.

O que eu posso fazer

Tem vários programas pra quem quer sair do país. Se você tem de 15 a 17 anos, pode optar pelo High School – fazer alguns meses de colegial numa escola normal em um outro país de sua escolha – ou um curso de férias. Se você é mulher, com mais de 18, pode fazer um programa de Au Pair, que é basicamente uma babá, que trabalha meio período na casa em que estiver morando, estuda meio período e ainda recebe salário; pode fazer cursos de inglês da duração que preferir, extensão universitária, programas de estágio e até conseguir um trabalho durante as férias na Disney.

O que precisa fazer

Lógico, não é nada mágico tipo “quero e vou”. Só pra começar, tem que ter uma pequena grana pra desembolsar. Intercâmbio nenhum é barato, pois, além do curso, você ainda tem que pagar passagens e despesas de visto, caso precise de um. Também é preciso ter um domínio pelo menos básico da língua. Se você espera ir pros EUA sem nunca ter estudado inglês pra tentar aprender na marra, pare e repense. Saber pelo menos o mínimo necessário pra pedir ajuda é essencial!

E por último, mas também super importante, tem que ser animada e ter força de vontade! Se você não é uma pessoa muito comunicativa, tem dificuldade pra fazer amigos, é muito tímida ou não consegue viver um segundo debaixo da asa dos seus pais, não recomendo. É o tipo de experiência pro qual a gente deve estar aberta e pronta pra tudo. Tem que ter jogo de cintura!

Pra onde ir

Os países mais procurados são EUA, Canadá, Inglaterra e Espanha. Mas há outras opções, como França, Irlanda, África, Austrália, Malta (onde eu estou no momento), e muitos outros. Minha dica na hora de escolher um lugar é: preço (sempre), facilidades e número de brasileiros. Um intercâmbio não vale de nada se você só cruzar com gente do seu país por lá! Afinal, vai acabar não praticando a lingua como devia!

Por hoje é isso. Se vocês gostarem, posso escrever outro post aprofundando um pouquinho mais o assunto, e respondendo perguntas, se alguém tiver alguma 🙂 Sempre feliz por ajudar e trazer assuntos diferentes!! 😀

Beijocas e fiquem bem!

Segue a gente @Diadebrilho

 

Pela cidade maravilhosa…

Por: Wanessa Oliveira

Nestes 4 dias pela cidade maravilhosa fiquei encantada com tanta beleza pela cidade. Primeiramente, as praias são maravilhosas, recomendo a praia da Barra da Tijuca água clara e limpa. Pude conhecer também as praias de Ipanema, Arpoador, Cristo e Copacabana onde fiquei simplesmente sensacional. Só não foi melhor porque não pude conhecer o pão de açúcar, Jardim Botânico, Lapa, Morro da Urca.

Não fui a nenhum shopping da cidade, infelizmente. Se você vier passear com sua família e amigos Ipanema, Copacabana e Barra da Tijuca são bairros bem localizados, de fácil acesso as praias, lanchonetes, restaurantes, entre lojinhas de artesanato e feiras.

O sol é perfeito, você consegue pegar uma ótima cor em qualquer lugar que for, use sempre filtro solar, pois o sol é de torrar a pele. Meninas, infelizmente não comprei nada de interessante, até gostei de algumas coisinhas, como as blusas que vendem pela praia e necessaires do calçadão, fofa! É isso, quem quiser saber mais, responderei os comentários aqui pelo blog! 🙂

Curtiram as fotos?

Beijinhos e segue a gente @Diadebrilho

Guia de Intercâmbio!

Por: Wanessa Oliveira

Bom, esse post é especial para as pessoas que querem fazer intercâmbio e morrem de vontade de saber como são as experiências, convivências e cultura de outro país, eu sou uma delas. Então pra não marcar bobeira eu chamei a Carolina Barboza do blog maybeitsjustcarol pra contar sua história e como tem sido pra ela viver por lá, espia só:

1- Como fez pra escolher o lugar do intercâmbio?

Sempre quis Estados Unidos. Por ter vontade de conhecer a cultura, a língua. E todas aquelas coisinhas que a gente vê em filme e tem curiosidade de descobrir se é verdade ou exagero (sim, é tudo igualzinho genten.. Rsrs).

2- Você foi pra estudar e trabalhar?

Meu maior propósito é estudar! Estou fazendo o último ano do Ensino Médio. O ano letivo aqui começa em Agosto e termina em Maio… Então é esse o período que eu vou ficar! Quando eu voltar para o Brasil, o último ano que fiz aqui será válido. Como terei uns meses ‘vagos’, pretendo fazer cursinho e prestar vestibular (no final do ano que vem).

3- Como as pessoas são com você?

As pessoas se animam bastante com intercambista. Pelo menos a maioria, digamos assim! Elas ficam impressionadas com a diferença de língua, cultura e principalmente com a coragem que os intercambistas têm de ficar longe dos pais, amigos por tanto tempo!

 4- O que você sente mais falta do Brasil?

É difícil falar algo em especial. Nos primeiros dias tudo é diferente, uma loucura! Você sente falta da sua língua, da família, amigos e todos aqueles que te confortam em momentos mais difíceis. Mas faz parte do aprendizado, né?! A saudade faz parte do seu roteiro, cabe a mim (ou a quem for) escolher se lamentar ou dar a volta por cima!

5- Dica de passeios: praias, lugares, parques

Bom, como faz pouco tempo que estou aqui (um mês e meio), ainda não deu pra conhecer muita coisa. Fiz viagenzinha super rápida (até porque, estou em período de aula) que eu adorei! A cidade chama Nashville, fica no estado de Indiana. Um lugar super charmoso (muitos casais passam a lua de mel), cheio de lojinhas com ar vintage, ruas enfeitadas por flores e bandeirinhas americanas. Um encanto! Tudo muito bem conservado e fofinho haha. Uma cidade bem turística mesmo!

Super legal né meninas? Quem tiver alguma experiência assim, entra em contato comigo que publicamos aqui! Obrigada pela participação Carol.

Beijinhos!